Dep. Técnico (12) 99657-8080 Dep. comercial (11) 97398-0237 Atendimento
Vermes - Parasitas
Vermes - Parasitas

Conhecendo e aprendendo sobre a doença ,tratamento e prevenção.

 

Na criação de frango de corte, bem como de poedeiras comerciais, reprodutoras e aves exóticas e silvestres, tem-se, de uma certa forma, negligenciado a presença de vermes.

 

Em determinadas circunstâncias, como criação em cama, piso de chão batido, cama sem tratamento químico, ave solta no pasto, aumento de besouros, gongolos, minhocas e moscas, nota-se um aumento do número de novos casos notados de vermes chatos e redondos nas aves. 

 

As verminoses não deveriam ter tanta importância em frangos de corte levando em consideração o tempo de vida desses animais (ao redor de 45 dias), pois o período de infestação e aparecimento das formas do parasita se completa entre 5 a 8 semanas de vida da ave.

 

Porém as formas larvais poderão estar presentes exercendo atividades mórbidas nas primeiras semanas de vida da ave, levando a diminuição do número de animais e queda no crescimento. Já nas aves poedeiras (reprodutores e comerciais), aves silvestre e exóticas possuem um tempo de vida bastante superior , tendo uma maior importância.

 

Em aves as verminoses que se destacam são: os vermes redondos (nematóides) e os vermes chatos (cestóides).

 

O ciclo evolutivo da maioria dos vermes intestinais das aves necessita de um hospedeiro intermediário no ciclo que será sempre um invertebrado (minhocas, besouros, baratas, pequenos insetos). Uma ave de criada sobre piso de tela dificilmente terá verme. Por que esses nematóides em quase sua totalidade precisam de um hospedeiro intermediário ou paratêmico para fechar o ciclo. Esses hospedeiros são normalmente minhocas de vida livre entre outros pequenos invertebrados.

 

 1. NEMÁTOIDES

Os nematóides constituem o grupo mais perigosos de endoparasitas na criação moderna de aves, pois são considerados os mais graves e os que geram maior mortalidade.

 

As aves criadas presas tem poucos nematóides, sendo as aves criadas soltas e as aves silvestres as mais acometidas. Os ovos da maioria dos nematóides são resistentes ao frio e a maioria dos desinfetantes existentes. 

Nematóide - Ascaridia Galli,

 

 

 

 

 

 



Presente no intestino delgado da ave, em grande quantidade pode ocasionar problemas intestinais graves como hemorragias decorrentes da congestão e lesão da mucosa intestinal.

Nematóide - Heterakis Gallinarum
 

Também pertence a esta classe. Parasita o ceco e possui importante ação no transporte de outro protozoário denominado Histomonas meleagridis, agente causador da histomoniase ou "cabeça negra aviária".

Nematóide - Capillaria sp.

Causa reações inflamatórias, espessamento de parede do papo e esôfago, podendo perder a elasticidade e em infecções maciças provocar enterites graves. 

Nematóide - Syngamus trachea

Parasita os brônquios e traqueia. Sua importância é bem evidente em aves jovens, que apresentam tosse e dificuldade respiratória, muito confundido com coriza e outras doenças respiratórias. As aves abrem o bico e esticam o pescoço como se estivessem engolindo algo.

Nematóide Oxyspirura Mansoni

 

Causa conjuntivite parasitária  e em grandes quantidades podem levar a ave a morte.

Nematóide - Tetrameres Americana


Penetram na mucosa ou nas glândulas do proventrículo, causando úlceras, hemorragias, edema e obstruções.


Tabela 1: Nematóides mais importantes em aves.

2. CESTÓIDES

 Uma alta porcentagem de aves pode ser infectada por cestóides, especialmente em épocas mais quentes do ano, quando os hospedeiros intermediários são abundantes.

  Os cestóides são denominados vermes chatos pela sua forma achatada. São os parasitas que ocasionam os menores prejuízos em relação aos nematóides e podem infestar aves em grande número e causar oportunidades para diversas doenças associadas.

Cestóide - Davainea Proglotina

Acomete o intestino delgado e ocasiona enterite hemorrágica grave, entre um dos seus sintomas são as aves apresentarem diarreia com sangue e às vezes pode observar os proglotes na matéria fecal que são muitas vezes confundidos com coccidiose.

 

Cestóide - Raillietina  spp

Ccorpo de uma raillietina adulta é uma estrutura típica da tênia , composta de uma série de segmentos corporais semelhantes a fitas, aumentando gradualmente da extremidade anterior em direção à posterior. É de cor esbranquiçada, altamente alongada, dorso-ventralmente achatada e inteiramente coberta por um tegumento

Cestóide - Hymenolepis spp

Transmissão da doença de uma ave para outra.

  A transmissão ocorre de ave para ave através da ingestão de larvas, ou pelo ciclo indireto requerendo um hospedeiro intermediário como insetos, minhocas, formigas, lesmas, besouros e moluscos parasitados.

Tabela 2: Cestóides mais importantes em aves.

Identificando os sintomas da doença na ave.

Alguns dos principais sintomas dos parasitas nas aves são:

Peito Seco

Perna bamba

Emagrecimento

Infertilidade temporária

fezes escuras e com sangue.

Baixo crescimento em filhotes

Tosse e dificuldade respiratória

Redução de peso e tamanho do ovo e atraso na produção de ovos.

As aves abrem o bico e esticam o pescoço como se estivessem engolindo algo.

 

 Medidas a Serem Tomadas par evitar a doença novamente: 

  A maneira mais fácil de evitar as verminoses é a profilaxia, ou seja, uma boa higienização das instalações, fornecimento de alimentação com boa procedência e dentro do prazo de validade; evitar deixar água parada próximo aos locais das , pois a ave pode ingerir esta água contaminada e com fezes; lavar bem verduras e frutas antes de fornecê-las as aves. 

 

Quando não devemos vermifugar a ave?

. Antes dos 5 meses de vida.

. Durante a reprodução.

. No processo da muda.

. Quando a ave está debilitada

 

Sugestões de tratamento para a ave doente.

    1º Isolar fisicamente as aves doentes das demais aves saudáveis em local, baia ou gaiola específico para tratar aves doentes, com bebedouro e comedouro apenas para as doentes e ficar de olho nas outras aves saudáveis que estavam com ela, se alguma adoecer levar para a baia de quarentena.

   

2º Identificar os sintomas, para a partir dos sintomas podermos identificar a doença ou possíveis doenças associadas.

   

3º Após a identificação da doença partimos para o tratamento com medicação adequada para cada caso.

   

4º Vermífugos sugeridos de acordo os exames ou sintomas e conforme a bula:

 

Conheça Nossas Soluções Para Tratamento Desta Doença :

 

 

 

Assista a aula prática de como utilizar cada medicamento link :

 

0.00

Vermes - Parasitas

R$ 0,00

Até 10x sem juros de R$ 0,00 no cartão

Qtd:  

Conhecendo e aprendendo sobre a doença ,tratamento e prevenção.

 

Na criação de frango de corte, bem como de poedeiras comerciais, reprodutoras e aves exóticas e silvestres, tem-se, de uma certa forma, negligenciado a presença de vermes.

 

Em determinadas circunstâncias, como criação em cama, piso de chão batido, cama sem tratamento químico, ave solta no pasto, aumento de besouros, gongolos, minhocas e moscas, nota-se um aumento do número de novos casos notados de vermes chatos e redondos nas aves. 

 

As verminoses não deveriam ter tanta importância em frangos de corte levando em consideração o tempo de vida desses animais (ao redor de 45 dias), pois o período de infestação e aparecimento das formas do parasita se completa entre 5 a 8 semanas de vida da ave.

 

Porém as formas larvais poderão estar presentes exercendo atividades mórbidas nas primeiras semanas de vida da ave, levando a diminuição do número de animais e queda no crescimento. Já nas aves poedeiras (reprodutores e comerciais), aves silvestre e exóticas possuem um tempo de vida bastante superior , tendo uma maior importância.

 

Em aves as verminoses que se destacam são: os vermes redondos (nematóides) e os vermes chatos (cestóides).

 

O ciclo evolutivo da maioria dos vermes intestinais das aves necessita de um hospedeiro intermediário no ciclo que será sempre um invertebrado (minhocas, besouros, baratas, pequenos insetos). Uma ave de criada sobre piso de tela dificilmente terá verme. Por que esses nematóides em quase sua totalidade precisam de um hospedeiro intermediário ou paratêmico para fechar o ciclo. Esses hospedeiros são normalmente minhocas de vida livre entre outros pequenos invertebrados.

 

 1. NEMÁTOIDES

Os nematóides constituem o grupo mais perigosos de endoparasitas na criação moderna de aves, pois são considerados os mais graves e os que geram maior mortalidade.

 

As aves criadas presas tem poucos nematóides, sendo as aves criadas soltas e as aves silvestres as mais acometidas. Os ovos da maioria dos nematóides são resistentes ao frio e a maioria dos desinfetantes existentes. 

Nematóide - Ascaridia Galli,

 

 

 

 

 

 



Presente no intestino delgado da ave, em grande quantidade pode ocasionar problemas intestinais graves como hemorragias decorrentes da congestão e lesão da mucosa intestinal.

Nematóide - Heterakis Gallinarum
 

Também pertence a esta classe. Parasita o ceco e possui importante ação no transporte de outro protozoário denominado Histomonas meleagridis, agente causador da histomoniase ou "cabeça negra aviária".

Nematóide - Capillaria sp.

Causa reações inflamatórias, espessamento de parede do papo e esôfago, podendo perder a elasticidade e em infecções maciças provocar enterites graves. 

Nematóide - Syngamus trachea

Parasita os brônquios e traqueia. Sua importância é bem evidente em aves jovens, que apresentam tosse e dificuldade respiratória, muito confundido com coriza e outras doenças respiratórias. As aves abrem o bico e esticam o pescoço como se estivessem engolindo algo.

Nematóide Oxyspirura Mansoni

 

Causa conjuntivite parasitária  e em grandes quantidades podem levar a ave a morte.

Nematóide - Tetrameres Americana


Penetram na mucosa ou nas glândulas do proventrículo, causando úlceras, hemorragias, edema e obstruções.


Tabela 1: Nematóides mais importantes em aves.

2. CESTÓIDES

 Uma alta porcentagem de aves pode ser infectada por cestóides, especialmente em épocas mais quentes do ano, quando os hospedeiros intermediários são abundantes.

  Os cestóides são denominados vermes chatos pela sua forma achatada. São os parasitas que ocasionam os menores prejuízos em relação aos nematóides e podem infestar aves em grande número e causar oportunidades para diversas doenças associadas.

Cestóide - Davainea Proglotina

Acomete o intestino delgado e ocasiona enterite hemorrágica grave, entre um dos seus sintomas são as aves apresentarem diarreia com sangue e às vezes pode observar os proglotes na matéria fecal que são muitas vezes confundidos com coccidiose.

 

Cestóide - Raillietina  spp

Ccorpo de uma raillietina adulta é uma estrutura típica da tênia , composta de uma série de segmentos corporais semelhantes a fitas, aumentando gradualmente da extremidade anterior em direção à posterior. É de cor esbranquiçada, altamente alongada, dorso-ventralmente achatada e inteiramente coberta por um tegumento

Cestóide - Hymenolepis spp

Transmissão da doença de uma ave para outra.

  A transmissão ocorre de ave para ave através da ingestão de larvas, ou pelo ciclo indireto requerendo um hospedeiro intermediário como insetos, minhocas, formigas, lesmas, besouros e moluscos parasitados.

Tabela 2: Cestóides mais importantes em aves.

Identificando os sintomas da doença na ave.

Alguns dos principais sintomas dos parasitas nas aves são:

Peito Seco

Perna bamba

Emagrecimento

Infertilidade temporária

fezes escuras e com sangue.

Baixo crescimento em filhotes

Tosse e dificuldade respiratória

Redução de peso e tamanho do ovo e atraso na produção de ovos.

As aves abrem o bico e esticam o pescoço como se estivessem engolindo algo.

 

 Medidas a Serem Tomadas par evitar a doença novamente: 

  A maneira mais fácil de evitar as verminoses é a profilaxia, ou seja, uma boa higienização das instalações, fornecimento de alimentação com boa procedência e dentro do prazo de validade; evitar deixar água parada próximo aos locais das , pois a ave pode ingerir esta água contaminada e com fezes; lavar bem verduras e frutas antes de fornecê-las as aves. 

 

Quando não devemos vermifugar a ave?

. Antes dos 5 meses de vida.

. Durante a reprodução.

. No processo da muda.

. Quando a ave está debilitada

 

Sugestões de tratamento para a ave doente.

    1º Isolar fisicamente as aves doentes das demais aves saudáveis em local, baia ou gaiola específico para tratar aves doentes, com bebedouro e comedouro apenas para as doentes e ficar de olho nas outras aves saudáveis que estavam com ela, se alguma adoecer levar para a baia de quarentena.

   

2º Identificar os sintomas, para a partir dos sintomas podermos identificar a doença ou possíveis doenças associadas.

   

3º Após a identificação da doença partimos para o tratamento com medicação adequada para cada caso.

   

4º Vermífugos sugeridos de acordo os exames ou sintomas e conforme a bula:

 

Conheça Nossas Soluções Para Tratamento Desta Doença :

 

 

 

Assista a aula prática de como utilizar cada medicamento link :

 

  1. Até 1x sem juros de R$ 0,00 no cartão
  2. Até 2x sem juros de R$ 0,00 no cartão
  3. Até 3x sem juros de R$ 0,00 no cartão
  4. Até 4x sem juros de R$ 0,00 no cartão
  5. Até 5x sem juros de R$ 0,00 no cartão
  6. Até 6x sem juros de R$ 0,00 no cartão
  7. Até 7x sem juros de R$ 0,00 no cartão
  8. Até 8x sem juros de R$ 0,00 no cartão
  9. Até 9x sem juros de R$ 0,00 no cartão
  10. Até 10x sem juros de R$ 0,00 no cartão


 

Vermes - Parasitas

R$ 0,00

Até 10x sem juros de R$ 0,00 no cartão